A ORIGEM

Até 2004, as ações sociais da Unimed Cuiabá eram tímidas e não se espelhavam em um plano com política de atuação e de investimentos definido. Também não havia na Cooperativa, uma área própria responsável pelo gerenciamento em Responsabilidade Social da Unimed Cuiabá.

Em 2004, a Unimed Cuiabá redefiniu seu posicionamento em relação a sua atuação social e, a partir daí, optou pela criação de uma OSCIP que é um tipo societário denominado de organização da sociedade civil de interesse público regido pela lei 9.790 de 23 de março de 1999.

A SOLUÇÃO

Um dos princípios do Cooperativismo, idealizado por Rochdale diz respeito à educação, formação e preocupação com a comunidade. Para a Unimed Cuiabá, a iniciativa de criação do PróUnim foi uma alternativa moderna que propiciou a contemplação deste princípio cooperativista.

A OSCIP tem autonomia política, administrativa e financeira em relação à Unimed Cuiabá que é a sua principal parceira. A gestão é autônoma, exercida pela direção do Projeto (esposas de cooperados e colaboradores), em sintonia com o planejamento da Unimed Cuiabá. Não há subordinação em relação à Unimed Cuiabá. A diretoria do ProUnim, conforme estabelece o seu estatuto não admite remuneração dos diretores, que exercem o cargo de forma voluntária - sem remuneração.

O investimento feito pela Cooperativa é definido no seu Planejamento Estratégico anual. Cooperados, cônjuges de cooperados e colaboradores, além de contribuírem com doações espontâneas, também podem ser voluntários e ainda candidatar-se a cargos de direção do ProUnim. A diretoria eleita tem mandato de três anos. A prestação de contas é pública, anual, feita à assembléia geral dos membros da OSCIP.

A criação do PróUnim, em 2004, atendeu diversos objetivos, dos quais podem ser destacados:

1. desvincular a ação da Unimed Cuiabá, enquanto cooperativa e operadora de planos de saúde, de sua atuação social;
2. promover ação solidária e conjunta de colaboradores, cooperados e cônjuges;
3. estruturação física e profissionalização da área de atuação social;
4. possibilidade de firmar parcerias com empresas e órgãos públicos;
5. possibilidade de monitorar o investimento social da Cooperativa com foco nos resultados sociais obtidos;
6. possibilidade de participação da comunidade e dos colaboradores indiretos com doações e trabalho voluntário.
7. possibilidade de termo de parceria com poder público municipal, estadual e federal,para ações de interesse público.